BH não tem mais o Farmácia Popular

Decreto 16.111/2015

A Prefeitura de Belo Horizonte acabou com o "Farmácia Popular" em Belo Horizonte, em virtude, segundo ela própria, do cancelamento do convênio com o Ministério da Saúde (leia o pequeno decreto fúnebre clicando no logo acima). 

Ela ainda diz, no decreto, que os medicamentos que eram disponibilizados no programa passarão a ser distribuídos gratuitamente nos seus centros de saúde. Será? Vá a um posto de saúde e constate a falta de medicamentos!

É a crise acabando com mais um programa social, aquela que nos disseram ser uma "marolinha". E o programa era realmente bom:

Clique na imagem para melhor visualização.

Exportações mineiras 2015

Clique sobre a imagem para melhor visualização.

É incrível como Minas Gerais depende tanto da exportação de recursos minerais. Minério de ferro, ferro e aço, ouro e pedras precisas somam mais de 50% das exportações da balança comercial mineira.

Ônibus não é atrativo

Clique no gráfico para ler a reportagem.

E por isso o transporte público tende a ficar mais caro, a cada dia. E afastando mais e mais os usuários.

Qual empresa de ônibus já quebrou em BH?


A antiga linha 1136 - Olaria/Glória: ônibus grande, com capacidade para aproximadamente 80 passageiros, com motorista e cobrador. Foi substituído pela...


... linha 1950 - Olaria/Glória: micro-ônibus, com capacidade de aproximadamente 40 pessoas, menor custo de manutenção, pneus menores e mais baratos, com motorista cobrando passagem, sem cobrador.

Retratos da incapacidade do transporte público em atrair clientes. Na contra-mão, as empresas apenas cortam custos para manter seus lucros, sem se preocupar em atrair público, como uma empresa qualquer. E os governos não fazem nada para impedir, ao contrário: dão suporte aos empresários. 

As ruas, a cada dia com mais carros. Os ônibus, a cada dia com menos interessados. Os empresários do setor, a cada dia com mais dinheiro no bolso.

Você já viu notícia de empresa de ônibus quebrando? E mula sem cabeça?

Bairro rico, bairro pobre

Clique na imagem para melhor visualização.

À esquerda, bairro rico. À direita, bairro pobre. 

Nota-se a diferença pela cor: a região mais rica é mais verde, porque é mais arborizada. 

A mais pobre é mais cinza, pois o adensamento de residências retira espaço para as árvores. Regiões assim sofrem com mais calor.

Salários: Professor x Pedreiro

Clique na imagem para visualização.

Tem prefeitura no Brasil oferecendo salário maior para pedreiros do que para professores. Tudo bem, o absurdo aqui não é o salário do pedreiro - profissão honrada que deve ganhar bem.

O problema é o salário do professor - profissional que deve passar por 4 anos de faculdade! 

Esta é a pátria educadora?


Fonte: Portal Canal do Otário. Disponível em: http://www.canaldootario.com.br/blog/patria-educadora-de-um-pais-de-mentiras/. Acesso em: 25 jul 2015.

O FGTS está te roubando

Vamos diminuir a velocidade máxima permitida?

Clique na imagem par ler artigo que defende a medida.

Ao contrário do que a maioria imagina, reduzir a velocidade máxima permitida em vias expressas de, por exemplo, 80 km/h para 60 km/h, melhora o fluxo! Isso porque reduz a quantidade de acidentes.

Porcentagens da economia global

Clique na imagem para melhor visualização.

E se existisse uma ogiva nuclear em cima de nossas cabeças?

EUA monitoram satélites russos que fazem manobras espaciais. Já imaginou se um deles tenha, a bordo, uma ogiva?

Lembra o episódio do anime Liga da Justiça, onde a Torre da Liga, no espaço, tem uma arma de destruição laser que pode mirar e acertar qualquer lugar na Terra, "por segurança". 

A realidade imitará a ficção?

Clique na imagem para ler a reportagem.

Quantos quilos de papel reciclado poupam uma árvore?

Fonte: Juventude Sustentável.

Saturno tem anel gigante

Clique na imagem para ler a reportagem da Revista Superinteressante.

Move BH: propaganda e realidade

Clique na imagem para visualização.
Descompasso. Essa é a palavra que resume a diferença entre a propaganda do Move - o BRT de Belo Horizonte - e a realidade.

O Move foi implantado às pressas na capital mineira, em substituição ao metrô, para atender à Copa do Mundo. A prefeitura, à época, propagandeava que o modelo era o mais viável: mais barato e mais rápido para implantação. As empresas de ônibus viram uma oportunidade de ouro: poderiam reduzir custos operacionais. Aliás, essas empresas só pensam nisso: lucro. Conseguir o lucro através de redução de custos operacionais é um dos caminhos preferidos dos Consórcios - ou seriam cartéis - que operam o sistema de transporte coletivo.

O SS4 e a crise do petróleo nos anos 1970

"O carro para quem busca desempenho com economia". O Opala SS4.

Clique na imagem para ler a reportagem da revista Trip.

Como jogar medicamentos fora?

Acredite: a orientação é jogar no vaso sanitário! Eles não devem ser jogados no lixo comum, para evitar a contaminação por outra pessoa que trabalhe na coleta, por exemplo.

O problema é que essa "solução" polui o meio ambiente! O que fazer?

Que tal um projeto de lei federal que obrigue as farmácias a recolherem medicamentos vencidos, ou restos de medicamentos que não serão mais utilizados, assim como suas embalagens. Isso para que seja dado um destino seguro e correto?

Algum deputado ou senador? Sabem o que é logística reversa?

Clique na imagem para ler a reportagem do G1.

A importância das moedinhas

Por que não é feito um projeto de lei que normatize o arredondamento que o comércio pode fazer ao dar o troco a seus consumidores?

Exemplo 1: sua compra somou R$5,96; R$5,97; R$5,98; R$5,99 = comércio autorizado a cobrar R$6,00.

Exemplo 2: somou R$9,81; R$9,82; R$9,83; R$9,84 = comércio autorizado a cobrar R$9,80.

Lada: o carro comunista

Clique na imagem para ler a reportagem da Revista Trip.

Arte não quebra

Pequena história da Rolls Royce, fábrica inglesa de automóveis.

Clique na imagem para ler a reportagem da Revista Vip.

Eco Urinal

O homem faz xixi na parte inferior. Abre a torneira na parte superior, lava as mãos e a mesma água das mãos lava o espaço em que ele urinou.

Boa ideia?


Como deixar reuniões produtivas?

Clique na imagem para ler as 5 dicas.


Flanelinhas

Os flanelinhas e o roubo velado...

Clique na imagem para ler a reportagem do Jornal O Tempo.



Smartphonevia

Sinal dos tempos. Atualmente é comum ver as pessoas caminhando pelas ruas e utilizando smartphones ao mesmo tempo. Um perigo, principalmente com quedas! Para tentar amenizar os problemas dessa prática, o governo chinês já está adotando uma ação inusitada: destinação de espaços na calçada exclusivos para transeuntes que se utilizam do celular. Como uma ciclovia, uma espécie de smartphonevia. O problema é que isso não diminui o problema dos roubos. Na minha opinião, pelo contrário, no Brasil só aumentaria! Os ladrões saberiam onde ficar para roubar. Imagina!

Clique na imagem para melhor visualização.

Sobre ambição

"Eu posso lidar com um homem que tem ambição, ele pode ser comprado. Mas um homem que não quer nada não tem preço".

Rei Eristeu. Filme Hércules.


Como o medo alimenta o consumismo

"[...]
Hoje, a indústria do medo alimenta o consumismo. O jornalismo, mantendo-se no padrão de sempre, reduzindo o mundo às catástrofes do dia, é um dos principais fortalecedores do medo na população. A violência, as desgraças, as falcatruas e os esportes para finalizar os telejornais, são apresentados como realidade, como se o mundo se resumisse a essa percepção distorcida que convence bilhões de pessoas diariamente. De que forma, na prática, isso alimenta o consumismo? Com medo, ficamos mais em casa. Em casa, para a população de mais alta renda (os que mais interessam para as vendas), com TV a cabo, videogames, entregas à domicílio, internet etc. 
Vendo o mundo por intermédio de telas, mas “protegidos”. 
E o que as telas nos mostram? Mais violência e tragédias, gerando um desejo de ainda mais proteção, para evitar essa parte sinistra, ruim da vida. A opção para se sair de casa com segurança nas grandes cidades acaba sendo só uma: shoppings centers – os templos do consumo, onde podemos comprar aquilo tudo que pensamos desejar. [...]".
Fonte: Portal Papo de Homem. Disponível em: http://www.papodehomem.com.br/epicuro-or-homens-que-voce-deveria-conhecer-48/. Acesso em: 10 jun 2015.

Cooperação Vs Competição


"As inovações desses novos tempos veem muito mais do esforço coletivo do que predatório entre os membros de uma empresa ou de um time. É função do líder criar um ambiente de cooperação, em que as contribuições sejam bem-vindas e promovam a criatividade e o engajamento de todos os participantes na solução de um problema [...]".


Fonte: Portal Isto é Dinheiro. Disponível em: http://www.istoedinheiro.com.br/blogs-e-colunas/post/20150527/tres-licoes-homem-mais-feliz-mundo/6814.shtml. Acesso em: 10 jun 2015.

Táxi Vs Uber

Quem tem razão? Taxistas ou usuários?

Clique na imagem para ler o posicionamento do Canal do Otário.

O Uber não é Táxi. Leia como funciona o aplicativo. Revista Veja.

Os políticos trabalham para quem?

Mudar o financiamento das campanhas mudaria o Brasil para melhor! Os políticos trabalham para os financiadores de suas campanhas. E isso nem é corrupção! É legalizado!

Então vamos adotar o Financiamento Público de Campanhas? Não! Veja a proposta no vídeo:

A rotulagem do bem e do mal

Atualmente, o país mais popular do mundo é a Alemanha. E um dos menos populares é Israel. Como, se na 2ª Guerra Mundial a popularidade estava invertida?

Dobradura para carta ou bilhete

Com apenas uma folha, você pode fazer o envelope ser a carta, ou a carta ser o envelope. 2 minutos e meio de vídeo.

Baterias para casas

Nossas casas terão baterias para suprir a demanda por eletricidade?

Clique na imagem para ver a reportagem do Olhar Digital.

Planeta lava-louças

Nosso planeta é uma gigante lava-louças. Tem um sistema natural autolimpante. Porém, o sistema está sobrecarregado.

Clique sobre a imagem para ler a reportagem da revista Superinteressante.

A história da caderneta de poupança

Clique sobre a imagem para ler a reportagem da revista Superinteressante.

Energia eólica sem hélices

Clique na imagem para ler a reportagem da revista Info.

As 10 mais lidas