Serviços públicos grátis não existem

"Talvez o termo gratuidade seja incorreto, porque sempre que falamos em gratuidade, é claro que alguém está deixando de pagar, mas, para alguém deixar de pagar, outro está pagando. 

O que acontece no Brasil [...] é que o custo das passagens gratuitas é arcado pelos demais passageiros. Ou seja, outros passageiros pagam para que o idoso possa andar de graça no transporte público brasileiro, por exemplo. 

É claro que isso gera uma injustiça social, porque muitas vezes pessoas com rendas mais baixas do que um determinado idoso acabam arcando com o custo da passagem desse idoso. Então, consideramos que as gratuidades, ou parte delas, assim como acontece em muitos países da Europa, têm de ser bancadas pelo Estado. 


Aí você pergunta: mas então você está tirando algo de outras pessoas? Sim. Esse é o padrão que ocorre com qualquer serviço, seja saúde, educação, e uma série de outros serviços. O que temos de evitar é que quem tem menos condição arque com esse custo. A lógica é que isso recaia sobre as pessoas que têm mais condições."


Ernesto Galindo, Técnico de Planejamento do IPEA - Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas.

Acidente de bonde

Acidente de Bonde - 1937 Não é de hoje que há acidentes no trânsito de Belo Horizonte. Este bonde se acidentou em 1937, sob olhares curiosos dos populares

O veículo desceu a rua Sapucaí, no bairro Floresta, atravessou a atual avenida Assis Chateaubriand (antiga avenida Tocantins) e caiu em uma rua paralela do viaduto Santa Tereza.


Fonte: Facebook. Comunidade Fotos Antigas de Belo Horizonte. Disponível em: https://www.facebook.com/FotosAntigasDeBeloHorizonte?hc_location=timeline. Acesso em 26 dez 2013.

O trem de passageiros que nunca para

Engenheiros chineses encontraram uma forma inovadora de agilizar o transporte ferroviário. Eles projetaram um sistema que permite o embarque e o desembarque dos passageiros sem que o trem pare na estação.
O sistema é simples e engenhoso. Na estação, há um compartimento que funciona como plataforma de embarque e desembarque. Ao passar, o trem carrega esse compartimento, permitindo a entrada dos passageiros. 
Na estação seguinte, o mesmo compartimento é liberado com os passageiros que vão desembarcar. Assim, o trem nunca precisa parar. Ele só recolhe e libera os compartimentos de embarque e desembarque em cada estação.

Fonte: Portal Exame. Disponível em: http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/trem-chines-pega-passageiros-sem-parar-na-estacao. Acesso em: 26 dez 2013. Adaptado.

Seja uma pessoa de valor

"Procure ser um pessoa de valor, em vez de procurar ser uma pessoa de sucesso. O sucesso é consequência."

ALBERT EINSTEIN.





O cego e o publicitário

Estratégia

Dizem que havia um cego sentado na calçada em Paris, com um boné a seus pés e um pedaço de madeira que, escrito com giz branco, dizia: "Por  favor,  ajude-me, sou cego".

Um publicitário, da área de criação, que passava em frente a ele, parou e viu umas poucas moedas no boné. Sem pedir licença, pegou o cartaz, virou-o, pegou o giz e escreveu outro anúncio. Voltou a colocar o pedaço de madeira aos pés do cego e foi embora.

Pela tarde o publicitário voltou  a passar em frente ao cego que pedia esmola. Agora, o seu boné estava cheio de notas e moedas. O cego reconheceu as pisadas e lhe perguntou se havia sido ele quem reescreveu seu cartaz, sobretudo querendo saber o que havia escrito ali.

O publicitário respondeu: "Nada que não esteja de acordo com o seu anúncio, mas com outras palavras". Sorriu e continuou seu caminho. O cego nunca soube, mas seu novo cartaz dizia: "Hoje é Primavera em Paris, e eu não posso vê-la".

Mudar a estratégia quando nada nos acontece, pode trazer novas perspectivas. Precisamos escolher a forma certa de nos comunicarmos com as pessoas. Não adianta simplesmente falarmos, antes precisamos conhecer a melhor mensagem para tocarmos, sensibilizarmos, convencermos as pessoas.

Fonte: Mensagens e Reflexões. Disponível em: http://mensagensereflexoes.com.br/reflexoes/o-cego-e-publicitario. Acesso em 26 dez 2013. Adaptado. 

Presentes do passado


Carro no lixo


Condomínio fechado


Espionagem norte-americana

Os EUA estão fazendo sistemas seguros ficarem inseguros, de propósito. Os serviços em nuvem são os maiores alvos.

Um exemplo disso é o Skype, antes seguro com serviço criptografado, porém vendido posteriormente a uma empresa norte-americana (Microsoft), facilitando a substituição por criptografia "rackeada" pelo Tio Sam.

A palestra abaixo é esclarecedora. Mikko Hypponen é chefe de uma das maiores empresas de segurança da internet mundial. 


Transporte individual x Transporte coletivo

Veja a economia de consumo do espaço quando se privilegia o uso do transporte coletivo.

Às compras

Clique na imagem para melhor visualização.

Tudo é um remix


Kirby Ferguson é um diretor e roteirista americano autor da série de 4 webvídeos que tratam sobre a desmistificação do pensamento de que grandes coisas acontecem de lugar nenhum.

O documentário Everything is a Remix conta que todas as coisas que admiramos hoje são cópias de outras coisas que deixamos de admirar. E que a criatividade nada mais é do que copiar ideias e rearranjá-las de outras formas. Aborda também a questão de patentes e seus problemas.

Intervenções viárias e indenizações


A paisagem de Belo Horizonte mudou bastante nos últimos três anos. Com ela, um crescente processo de desapropriações e indenizações pagas a quem morava ou tinha estabelecimento comercial no caminho das obras públicas. De 2007 a 2009, foram cerca de 2.000 indenizações relativas a desapropriações e remoções na cidade, que consumiram R$ 221 milhões do orçamento municipal, de acordo com a Secretaria Municipal de Políticas Urbanas.

Uma delas foi a duplicação da avenida Antônio Carlos, na região Noroeste da capital, onde a Prefeitura de Belo Horizonte e o governo de Minas Gerais investiram R$ 190 milhões em desapropriações e remoções, com recursos das duas esferas públicas.

As obras na Antônio Carlos provocaram também a valorização nas áreas do entorno. O diretor secretário do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Minas Gerais (Creci/MG), Vinícius Araújo, informou que os imóveis às margens da avenida valorizaram de 30% a 40 % depois da obra de duplicação. "Era um comércio fraco, onde o metro quadrado custava R$ 1.000. Agora, passou para R$ 1.400 e a tendência é aumentar ainda mais", avaliou Araújo, há 22 anos no mercado.

Cânions

Grand Canyon - EUA. Clique sobre a imagem para melhor visualização.

Cânions são vales profundos com encostas quase verticais, que podem se estender por centenas de quilômetros e atingir até 5 mil metros de profundidade. À primeira vista, quem observa esses gigantescos entalhes na superfície do planeta poderia imaginar que eles foram criados de uma hora para outra por algum fenômeno catastrófico, como um terremoto capaz de abrir a terra e gerar um precipício. Nada disso: em geral, os cânions têm uns aprofundamentos lentos, que pode durar milhões de anos. Os autores principais dessas obras de arte não são só rios.

Dependendo da declividade do terreno, da quantidade de água e das fraturas do relevo, um curso de água tem a capacidade de entalhar as rochas do leito por onde corre, dando origem aos paredões. Entretanto, um rio não constrói um cânion sozinho. Nesse processo, também desempenham um papel importante os chamados soerguimentos, processos de choque e deslocamento de placas no interior da crosta terrestre que elevam gradualmente o relevo da região. Conforme o terreno sobe, os rios que correm na superfície começam a ganhar velocidade e a aprofundar seus leitos, aumentando a altura dos paredões. 

Para os cientistas, os cânions possibilitam entender a origem das rochas e do relevo de uma região. Numa imagem aproximada, se a gente comparar a Terra com uma cebola, um cânion é como um corte de faca que revela algumas camadas da casca do vegetal rochoso em que vivemos. Mas os cânions de hoje não são retratos exatos do passado. Além de contínua erosão fluvial, a ação do calor, do vento, do gelo e da própria gravidade terrestre, que causa desmoronamentos, modificou o aspecto dessas feições ao longo do tempo.

Fonte: Revista Superinteressante. Adaptado.

Por que os humanos são animais especiais?

Por que nossos cérebros são melhores do que os de nossos irmãos gorilas ou chipanzés? Genética privilegiada? Não. Onde está a resposta? Na sua cozinha!

O sábio e o tolo

"Quando um dedo aponta uma estrela, o sábio olha para ela e o tolo olha para o dedo!"

Ditado popular chinês.



Fonte: Portal Exame. Disponível em: http://exame.abril.com.br/revista-voce-sa/edicoes/185/noticias/o-sabio-e-o-tolo. Acesso em 02 Dez 2013. Adaptado.

As 10 mais lidas