Relógio de água

Já existe relógio que funciona sem pilhas e baterias. Veja o relógio movido a água.

Deflação

A economia japonesa vai, curiosamente, mal das pernas. Está patinando faz algum tempo. Uma das metas do Primeiro Ministro do Japão para o próximo ano é, para espanto de nós brasileiros, gerar inflação.


Enquanto no Brasil a inflação está, nos últimos anos, frequentemente acima da meta estipulada pelo Banco Central - 4,5% ao ano, no Japão o que existe é deflação. Explica-se que o citado fenômeno é uma inflação negativa. Em um primeiro momento pensa-se que é bom para os consumidores, afinal os preços estão com tendência de queda. Porém o fenômeno, quando atinge uma economia por muito tempo, gera prejuízos também para os consumidores.

Isso porque com uma tendência de deflação, a economia japonesa não cresce. Por que um consumidor compraria um produto hoje por 10 dinheiros, se amanhã ele será oferecido por 9, ou 8 e até 7? Por outro lado as empresas também freiam sua produção, afinal se um produto hoje der 4 dinheiros de lucro, amanhã poderá dar 3, 2, ou nada, ou em um futuro próximo poderá dar prejuízo!

Gerar inflação é uma das soluções almejadas pela economia do Japão. Eles desejam algo em torno de 2% ao ano, para estimular os consumidores a comprarem hoje, fazendo a economia girar. Como se pode ver, não há nada perfeito em economia.

Fonte: Rádio CBN. 106,1, Belo Horizonte. Matéria veiculada dia 25 dez 2012.

Sobre o xadrez

Histórico¹
O xadrez é um jogo de cálculo, ou seja, um exercício mental cuja disciplina tem se desenvolvido através dos tempos. Sua invenção tem sido atribuída aos antigos egípcios por alguns autores, e aos gregos na campanha de Tróia por outros. Sua prática tem sido dada como certa entre os antigos romanos, porém nada disso pôde ser provado. Segundo alguns historiadores que se dedicam ao assunto, seu berço teria sido na Índia do século V ou VI, derivado do antiguíssimo jogo hindu "Chaturanga" (que significa quatro lados). Daí teria passado à Pérsia, onde foi buscar o mundo islâmico, que por sua vez transmitiria à Europa pela invasão muçulmana na Península Ibérica ou no confronto oriente-ocidente das Primeiras Cruzadas.


É lógico que o tabuleiro não é assim!

Valores Fictícios das Peças²
Alguns enxadristas estipulam valores a cada peça a título de comparação em trocas durante o jogo (um captura a peça de um jogador que em contrapartida captura outra do adversário). Estes valores consideram a jogabilidade média de cada peça, e pode variar conforme o andamento do jogo (se está no meio para o final do jogo, algumas peça adquirem mais força que outras).Assim vejamos:
Rainha - 9 pontos
Torre - 5 pontos
Bispo - 3 pontos
Cavalo - 3 pontos
Peão - 1 ponto
Rei - 4 pontos (seu valor na verdade é inapreciável, pois se ele não pode ser capturado senão o jogo termina).

A Captura
É preciso fazer uma diferenciação do xadrez para a dama. No jogo de damas um adversáiro captura sua peça pulando-a. No xadrez a captura faz com que a peça do seu adversário ocupe a casa em que a peça capturada estava.

O Movimento de Cada Peça
Rainha: anda para qualquer lado do tabuleiro, quantas casas o jogador quiser.
Torres: andam para frente e para o lado, quantas casas o jogador quiser. Não andam na diagonal.
Bispos: andam nas diagonais para frente e para trás. Um bispo percorre somente as casas brancas e o outro percorre somente as casas escuras.
Cavalos: andam em formato de "L", ou seja, andam duas casas para frente e uma para qualquer lado; duas casas para trás e uma para qualquer lado; uma casa para frente e duas para qualquer lado; uma casa para trás e duas para qualquer lado. O importante é fazer um "L" com uma pequena perna em qualquer posição no tabuleiro, desde que o cavalo não fique em cima de uma peça de seu batalhão. Se ficar em cima de uma peça do batalhão adversário significa uma captura.
Peões: anda para frente, uma casa de cada vez. Captura o adversário que estiver em suas diagonais posteriores. Não se move para trás. Quando estão nas casas iniciais do jogo têm a prerrogativa de pular duas casas para frente.
Rei: anda para qualquer lado, só que uma casa de cada vez.

¹ e ² Retirados de um antigo livro que versa sobre o assunto, mas que não me recordo qual.

Desgaste ou ferrugem?

"Sejamos pessoas de ação. É preferível o desgaste do que a ferrugem, a inércia é altamente prejudicial." 

MÁRCIO KUHNE, palestrante motivacional.


Tutorial de Xadrez

Video explicativo de como se jogar xadrez, para iniciantes.

Riscos da vitória

"Vencer sem riscos é triunfar sem glória."

PIERRE CORNEILLE, dramaturgo francês, século XVII.


Terra vista à noite

Novas imagens da Nasa, de um satélite que orbita o planeta. Observe as regiões mais iluminadas da Terra, mais visíveis no hemisfério norte. Observe também a escuridão da África, e as regiões da América do Sul mais iluminadas, principalmente o eixo Rio-São Paulo, no Brasil.

O computador e o cérebro

"O maior perigo não é os computadores começarem a pensar como os homens, mas os homens começarem a pensar como computadores."

SYDNEY HARRIS, jornalista e escritor estadunidense.


Mineração

O que a mineração faz com o meio ambiente ilustrado em uma imagem. Os governos recebem muito menos de royalties quando comparados à extração de petróleo.


Fonte: Portal National Geographic. Disponível em: http://viajeaqui.abril.com.br/materias/sua-foto-novembro-de-2012#1. Acesso em: 05 dez 2012.

Toda privada tinha que ser assim...

Se existe um meio de economizar água na descarga, por que as empresas continuam a vender descargas diferentes, e por preços mais baixos? 

Deveria haver uma lei que obrigasse apenas as descargas do tipo econômica a ser vendidas. Ou uma lei isentando de impostos as descargas que fosse fabricadas pensando em economia de água, estimulando o consumidor a querer comprar somente as que economizam. 

Duas descargas em uma. Para cocô é só apertar no meio, mais água é utilizada.

Descarga para xixi: menos água é usada, em grande escala ajuda o meio ambiente.

Desrespeito em seis imagens

Endereço: Avenida do Contorno, esquina com Rua Grão-Mongol, Savassi, Belo Horizonte - MG. A preferência é para pedestre, mas poucos motoristas respeitam (veja a placa da imagem 1). Clique nas imagens para ampliação.

Repare no homem de camisa branca e na mulher de camisa azul ao fundo da imagem. Eles atravessarão a primeira faixa de pedestre e aguardarão na calçada para atravessar a faixa onde ninguém respeita...

Imagem 1: sinalização com preferência para pedestre.

Imagem 2:  Pedestres começam a esperar a preferência que é deles.

Imagem 3: A espera continua...

Imagem 4: Continua...

Imagem 5: Continua...

Imagem 6: Finalmente conseguem atravessar.

Bicicleta


Derivados do petróleo


As 10 mais lidas