Privatização da Água

Crítica ao discurso científico da escassez da água
-”De toda água do planeta, 97% são dos mares e oceanos, impróprias para consumo por serem salgadas. Dos 3% restantes, 2/3 estão em estado sólido nas calotas polares. Sobram apenas 1% de água líquida em condições potáveis para consumo humano”.
-Ao contrário do que se imagina, hoje não existe menos água que antigamente. O aquecimento global vem derretendo as calotas polares, contribuindo para uma maior parcela de água líquida no planeta.
-A água disponível para consumo vem principalmente da evaporação dos oceanos, e a capacidade de retenção depende do relevo onde a chuva acontece (velocidade de escoamento e formação das bacias hidrográficas), da constituição geológica (rochas que permitem a infiltração e o armazenamento da água em aquíferos) e da radiação solar (que permite a evaporação-condensação-precipitação da água, ocorrendo em grande parte nas baixas latitudes).
-Da água evaporada nos oceanos, 80% cai novamente nos oceanos em forma de chuva.
-Não estamos diante da mera escassez de água, mas de uma desordem ecológica que atinge pessoas, classes sociais, países e regiões de maneira desigual.
-Desigual também são as condições de determinados grupos ou países de lidar com este problema.

Alguns números
-Agricultura: responsável pelo consumo de 70% da superfície de água do planeta.
-Indústria: consume 20% da superfície de água do planeta.
-Os dois sistemas se inscrevem no ciclo da água, não sendo aquele velho modelo tradicional mostrado na escola.
-A floresta Amazônica, de toda sua biomassa, 70% é formada de água, um “oceano verde” que contribui para a evapotranspiração que influencia o clima e a vida das pessoas.
-Assim a água não pode ser tratada de modo isolado, com cientificismo técnico. Ela tem que ser pensada enquanto território, apropriadas pelos homens segundo suas relações de poder e suas relações sociais.
-O ciclo da água não é externo à sociedade. A crise ambiental é reflexo da crise da sociedade.

A Urbanização
-Não é o mero crescimento populacional que pressiona o consumo de água, mas é o aumento da população com nível europeu ou norte-americano de vida que pressiona esse e outros recursos naturais.
-Demanda por água cresce mais que o crescimento demográfico.
-Um habitante urbano consome 3 vezes mais água que um rural.
-Um cidadão alemão consome 9 vezes mais água que um indiano.
-A irrigação e a captação de águas se generaliza para abastecer a agropecuária, que abastece os grandes centros, e a indústria, que necessita de grande quantidade de água para resfriamento de seus equipamentos, entre outros processos.
-O pensamento malthusiano, o do simples crescimento demográfico pressionando o uso da água, cai por terra e se mostra insuficiente para demonstrar a verdade.
-O acesso a águas subterrâneas torna-se uma necessidade, já que as águas superficiais não dão conta do abastecimento das grandes cidades, o que traz novos problemas, o do acesso à tecnologia de bombeamento ou de acesso a aquíferos. Esse acesso é restrito a certas camadas sociais ou a certos países, que têm níveis econômico-tecnológicos diferenciados.
-A prática de captação de águas de aquíferos tem seus problemas. Por um lado aumenta a área irrigável e de agricultura, consequentemente de alimentos disponíveis. Por outro, o lençol freático pode ser rebaixado, e a água captada pode ficar cada vez mais salinizada, o que deixa os solos impraticáveis para a agricultura devido à irrigação no longo prazo.
-É importante salientar que a água não circula somente nos rios, nas massas de ar, nos mares e oceanos e na umidade de ar, mas também nas várias mercadorias – tecidos, automóveis, produtos agrícolas e minerais, etc. Conclui-se que a lógica de mercado influi muito no ciclo hidrológico.

Do interesse público e privado
-Políticas estatais desastrosas sobre o assunto água: organismos internacionais dizem que os Estados, especialmente os de países em desenvolvimento, não tem capacidade de gerir adequadamente os recursos hídricos.
-O interessante é que os mesmos organismos internacionais apoiaram as políticas estatais quando as ditaduras estavam instaladas nesses países, políticas de graves consequências socioambientais; no momento da democratização apoiam políticas que diminuem a importância do Estado, incentivando a iniciativa empresarial e a de ONGs.
-O mundo da água privatizada está sendo dominado por grandes corporações.
-Seu objetivo é a criação de um novo modelo de regulação à escala global.
-Pressões do FMI e do Banco Mundial vão no sentido de suprimir os monopólios públicos, mas várias são as propostas de privatização das águas e essas propostas ainda enfrentam obstáculos.

Propostas de Privatização
-Privatização no sentido estrito, com transferência para o setor privado com a venda total ou parcial de ativos.
-Transformação de um organismo público em uma empresa pública autônoma, como o caso da ANA – Agência Nacional de Águas, no Brasil.
-PPP – Parceria público privada, modelo preferido pelo Banco Mundial.


Transnacionalização
-Diminuição da setorização da água. Cada um dos setores tem suas seus protagonistas, suas especialidades, seus mercados e conflitos.
-Nestlé e Danone são as duas maiores empresas mundiais em água mineral engarrafada, e juntamente com a Coca-Cola e a Pepsi-Cola tornaram-se concorrentes das empresas de tratamento de água graças à comercialização de uma água purificada, apresentada na mídia como mais sadia que a das torneiras.
-Existe um avanço da privatização da água pelo mundo, e empresas transnacionais vêm se espalhando pelo mundo, com uma variedade de rótulos de fachada que fazem crer se tratar de empresas diferentes.
-A lógica capitalista do controle da água faz acontecer aberrações como no México, onde a seca de 1995 fez o governo cortar o abastecimento para camponeses e fazendeiros, para garantir o abastecimento de indústrias controladas em sua maioria por capitais estrangeiros.
-1 tonelada de água na Índia pode gerar um lucro de US$200 na agricultura quando na indústria essa mesma medida geraria US$10.000.
-Nos EUA fazendeiros estão preferindo vender a água para a indústria para obterem mais lucro que em suas culturas.

Qualidade dos serviços
-O discurso da privatização está baseado no possível aumento da qualidade dos serviços prestados, e no possível subsídio às pessoas que não podem pagar. O Estado não teria recursos para o desenvolvimento da área.
-O fato é que as grandes empresas do ramo são muito poluidoras.
-Os conflitos ainda se acirram pela má qualidade dos serviços prestados, caso de Buenos Aires, e do aumento dos preços das tarifas.
-Na Argentina pessoas se organizaram e começaram a não pagar as contas, o que gerou uma ameaça de corte do abastecimento por parte das empresas. Algumas empresas acabaram por desistir do contrato e passaram a questionar em instâncias internacionais o direito a ressarcimento de eventuais prejuízos por parte do governo.
-O fato é que privatizada a água o direito do proprietário está acima do direito e interesse público.
-Resitências à privatização da água vem aumentando no mundo.

Guerra da Água
-A guerra vem se travando na OMC, discutida no Fórum de Davos, em organismos internacionais.
-Querem tornar a água uma mercadoria, e para isso é preciso privar os homens comuns do acesso a ela.
-Em todo lugar onde se tenta apropriar a água, há resistência.
-A água não é uma commodity, como o petróleo, não existe mercado disposto a consumir grandes quantidades a um preço que compense os custos do transporte. Não se prevê o surgimento dessem mercado porque a maior parte do consumo de água doce do mundo se consome na irrigação.
-Para produzir 1kg de frango é necessário 2.000 litros de água. Com o mercado de água privatizado, naturalmente os preços de produção seriam elevados e repassados ao consumidor de frango!

Finalizando
-A água não pode ser privatizada. A água não está acabando.
-É necessária uma vigilância constante sobre empresas que têm interesses na privatização.
-É necessária uma pressão sobre os governos para que cuidem bem da água, e que fiscalize bem as empresas poluidoras desse bem mais precioso que o planeta nos deu.

Fonte: PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. A água não se nega a ninguém. Observatório Latino-Americano de Geopolítica. Disponível em: www.geopolítica.ws. Acesso em: 22 jun 2010.


Sobre o destino...

"Não devemos viver pelo futuro e sim pelo presente. Pessoas que perseguem um distante sonho do futuro na verdade estão fugindo do seu verdadeiro destino".


FRIEDRICH NIETZSCHE, filósofo alemão, século XIX.



Sobre o heroísmo...

"O verdadeiro heroi é quem aceita a vida que lhe foi dada, melhorando-a. Essa pessoa é um 'super-homem'.Todos podem ser um, a sua maneira".


FRIEDRICH NIETZSCHE, filósofo alemão, século XIX.


Pista alagada: devo passar?

As dicas de quando passar por ruas alagadas. Os freios vão ficar molhados, podendo te deixar na mão em caso de necessidade. O que fazer para isso não acontecer? Veja a reportagem.

Barlavento e Sotavento

Barlavento: lado para onde sopra o vento.

Sotavento: lado por onde sai o vento.

Em relação ao clima e ao relevo, o ar que vai em direção à montanha, à barlavento, é forçado a subir e condensa-se, provocando chuvas orográficas. Após passar as montanhas, já desprovido de umidade, o ar passa à sotavento da montanha. Por isso é frequente encontrar-se florestas à barlavento de uma formação montanhosa e desertos à sotavento dela.

Para não esquecer, Sotavento é o lado que Sai o vento!


Fontes: Portal 360º. Disponível em: http://360graus.terra.com.br/nautica/default.asp?did=5359&action=geral. Acesso no dia da postagem.
Portal Wikipedia. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Barlavento_e_sotavento. Acesso no dia da postagem.

Escala geológica do tempo


Fonte: COELHO. Marcos de Amorim. Geografia do Brasil. São Paulo: Editora Moderna. 1998. P. 61.

Atuação das massas de ar no território brasileiro




Ec: Massa de ar equatorial continental
-Características: de maior atuação no território brasileiro, influencia todas as regiões do país; massa de ar quente e úmida (formação no trópico e sobre a Floresta Amazônica), provocando chuvas devido a sua instabilidade e umidade.

Ea: Massa de ar equatorial atlântica
-Características: quente e úmida (formação no trópico e sobre o Oceano Atlântico Norte), atuando no litoral nordeste e norte e, por percorrer longa distância, perde umidade e propicia tempo estável no continente.

Tc: Massa de ar tropical continental
-Características: quente e seca (origem perto dos trópicos e no continente), origina-se na Depressão do Chaco e influencia o sul da região Centro-Oeste e o interior da região Sul e Sudeste. No inverno tem pouca atuação.

Ta: Massa de ar tropical atlântica
-Características: quente e úmida (formação no Oceano Atlântico Sul), atua na faixa litorânea que vai do Nordeste ao Sul do país. Encontra-se com a Massa Polar Atlântica, provocando chuvas frontais e de relevo no encontro com a Serra do Mar. Sua atividade é constante o ano todo.

Pa: Massa de ar polar atlântica
-Características: fria e úmida (formação no Atlântico Sul, próximo ao polo sul). Durante o inverno ela tem muita força, atingindo grande parte do território do Brasil.

Fonte: COELHO. Marcos de Amorim. Geografia do Brasil. São Paulo: Editora Moderna. 1998. P. 87-88.

O sucesso segundo Ford

“Se há algum segredo de sucesso, consiste na habilidade de aprender o ponto de vista da outra pessoa e ver as coisas tão bem pelo ângulo dela com pelo seu”.

HENRY FORD, fundador da montadora de automóveis.



Mapas Topográficos

Introdução
-Diferentes mapas serve a diferentes propósitos.
-Se você está tentando se dirigir de um ponto A para um ponto B, um mapa rodoviário é o mais indicado.
-Se tiver que sair da estrada, e fazer uma trilha, terá que olhar a elevação do terreno. Assim você precisará de um mapa topográfico.

Diferença entre mapa topográfico e mapa normal
-Os topográficos permitem a você ter uma visão tridimensional da paisagem sobre uma superfície bidimensional, que é o pedaço de papel.
-Eles mostram as características do relevo. Montanhas, vales, água, divisores de água.

Evolução dos mapas topográficos
-No século XIX já se criava mapas topográficos.
-O modo de confecção dos mapas era demorado, artesanal, caro e as vezes perigoso. Os mapeadores subiam geralmente no local mais alto com pranchetas para desenhar e medir o local.
-Os aviões começaram a ser utilizados nos anos 1940, ajudando na evolução das técnicas de mapeamento, com as fotografias aéreas, utilizadas até hoje.
-Hoje em dia recursos com as fotografias por satélite é o que se têm de mais avançado para criação de mapas topográficos.

Linhas de contorno
-É o que diferem dos outros tipos de mapas.
-São linhas que conectam pontos de mesma elevação.
-Ilustram a topografia do terreno.
-O espaçamento entre as linhas de contorno é chamado de intervalo de contorno.
-As linhas mestras é que marcam a altitude do relevo, já que seria impraticável colocar elevação em todas as linhas.
-Se as linhas de contorno estiverem muito próximas, sugere-se um terreno íngreme. Se estiverem mais espassadas você estará diante de um terreno mais plano.


Fonte: Portal Como Tudo Funciona. Disponível em: http://ciencia.hsw.uol.com.br/como-ler-um-mapa-topografico2.htm. Acesso no dia da postagem.

Circulação Geral da Atmosfera


1 - Doldrums: Calmaria na região equatorial dos Oceanos Atlântico, Pacífico e Índico. A expressão é de uso histórico marítimo. A região é afetada pela Zona de Convergência Intertropical, causando baixa pressão do ar pela temperatura elevada devido à incidência dos raios solares. Os ventos tornam-se calmos no nível do mar, mas a imprevisibilidade do tempo pode fazer dessa região uma área de tempo mais severo, sujeita à formação de furacões.

2 - Células de Alta Pressão: Células de circulação de ar criadas pela rotação do planeta e pela transferência de calor na linha do Equador. A circulação do ar fica restrita a uma região específica, e no caso de ser de alta pressão, significa que esta região está mais fria que a seu redor, já que o ar frio é mais denso.

Fontes: Portal Wikipedia. Disponível em: http://en.wikipedia.org/wiki/Doldrums. Acesso no dia da postagem.
Portal Inmet. Disponível em: http://www.inmet.gov.br/html/informacoes/glossario/glossario.html#C. Acesso no dia da postagem.
Concurso público Analista Trainee Geografia - SP.

Ártico: disputas territoriais

Com o aquecimento global, a calota polar ártica vem a cada ano diminuindo mais. A possibilidade de navegação se ampliou, assim como a possibilidade de exploração econômica, principalmente de combustíveis fósseis.

Grande dilema agora é definir: de quem é o Ártico? Pela proximidade geográfica, alguns países já se candidatam: Canadá, EUA, Rússia, Dinamarca e Noruega. Disputas territoriais entre os países podem ser acirradas diante desse quadro.


Fonte: Desafio Viagem do Conhecimento. Editora Abril. 2009. Adaptado.

Ártico: a nova passagem

Navios cargueiros chegaram à Ulsan, Coreia do Sul, partindo de Roterdã, Holanda, utilizando a chamada Passagem Nordeste no Ártico, ao longo do litoral da Rússia. Isso só foi possível com o recuo recente da calota polar na região nos últimos anos. Efeitos positivos do aquecimento global?

"Quanto menor a área congelada, menor a capacidade de reflexão dos raios solares. Ou seja, à medida que a área gelada diminui, a região absorve mais calor, aumentando a temperatura e acelerando o derretimento do gelo". A situação do Ártico revela variações na capacidade que diferentes partes da superfície têm de refletir ou absorver a radiação solar. As superfícies mais escuras tendem a absorver mais calor do Sol que as mais claras. Trata-se da alteração nos índices de Albedo.

Em relação à exploração econômica do Oceano Glacial Ártico, ela interessa a diversos países, pelos combustíveis fósseis da região e possibilidade de navegação, que encurta o espaço-tempo da circulação das mercadorias, opondo exploração e preservação da região.



Fonte: Desafio Viagem do Conhecimento. Editora Abril. 2009.Adaptado.

Localização de Sabará

A leitura e interpretação do mapa abaixo indicam que o município de Sabará localiza-se:


a - Ao norte de Belo Horizonte e ao sul de Caeté.
b - A oeste de Nova lima e a leste de Santa Luzia.
c - A leste de Belo Horizonte e a oeste de Caeté.
d - A oeste de Raposos e a leste de Santa Luzia.

Resposta correta: selecione o espaço entre parênteses abaixo.
( Letra C )

Fonte: UFG - 2007. Adaptado.

Bingo geográfico

Para tornar as aulas de Geografia mais interessantes, uma das alternativas é execução de jogos educativos dentro da sala de aula. Os PCNs incentivam a adoção de recursos didáticos envolventes, e uma sugestão muito bacana da equipe do Brasil Escola é o jogo Bingo Geográfico.


Entregue uma folha aos alunos com 4 linhas e 5 colunas. Escreva no quadro 30 respostas no quadro, pedindo que os alunos escolham 20 e as escrevam na folha de caneta. O jogo então inicia-se, com o professor fazendo as perguntas que dão origem às respostas. Quem tiver a resposta na folha-cartela, marca um X. Ganha o jogo quem for o primeiro a preencher a folha-cartela.

Exemplos de perguntas e respostas para o “bingo geográfico”:
- Forma do planeta Terra: geoide.
- Objeto de estudo da Geografia: espaço.
- Menor continente terrestre: Oceania.
- Linha imaginária que divide o planeta em Hemisférios Norte e Sul: Equador.
- Principal meridiano do planeta Terra: Greenwich.
- Movimento que a Terra realiza em torno do seu próprio eixo: rotação.
- País mais populoso do mundo: China.
- Tremor provocado pelo encontro de placas tectônicas: terremoto.
- Maior estado do Brasil: Amazonas.
- Bloco econômico formado pela Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai: Mercosul.

Fonte: Portal Brasil Escola. Disponível em: http://www.educador.brasilescola.com/estrategias-ensino/bingo-geografico.htm. Acesso no dia da postagem.

Os BRICS

Conceito
- Grupo de países considerados potências emergentes nos últimos anos.

Quem são?
-Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (o S refere-se a South Africa).

O que têm de especial?
-Segundo estudo do banco americano Goldman Sachs, no decorrer das próximas décadas estes países podem ascender ao topo do ranking das maiores economias do planeta, desbancando potências como Japão e Alemanha.

O segredo do sucesso...
-A força dos BRICS provèm, em grande parte, da enorme fatia da população mundial existente nos quatro países, equivalente a mais de 40% da humanidade. Isto poderá gerar um mercado consumidor considerável.

Vantagens e desvantagens dos países...


PRÓS E CONTRAS
Alguns fatores que impulsionam a expansão econômica de cada um dos Bric e problemas que podem atrapalhar o crescimento desses quatro países emergentes
Brasil
Vantagens
Desvantagens
Potencial para ser o maior fornecedor mundial de produtos agrícolas
Carga tributária pesada e informalidade disseminada em muitos setores
Grandes reservas mineraisInfra-estrutura precária
Parque industrial diversificadoEducação deficiente
Rússia
Vantagens
Desvantagens
Reservas abundantes de petróleo e gás natural
População com média de idade elevada e baixo índice de natalidade
População com bom nível educacional
Altos índices de corrupção e criminalidade
Carga tributária baixa
Índia
Vantagens
Desvantagens
Avanço em setores de tecnologia, como informática
Infra-estrutura precária, com áreas urbanas caóticas
Grande população jovem e em crescimento acelerado
Sociedade organizada por sistema arcaico de castas e dividida por conflitos étnicos e religiosos
Elite bem formada e atuante
China
Vantagens
Desvantagens
Alta capacidade industrialPopulação com tendência de envelhecimento rápido
Potencial para ter o maior mercado consumidor do mundoProgresso realizado com grande devastação ambiental
Investimento intensivo em infraestrutura e educaçãoSistema político ditatorial
Fonte: Revista Exame

Quanto à África do Sul, que entrou recentemente, uma de suas maiores vantagens é possuir grandes jazidas minerais importantes, como de diamantes. As desvantagens são ainda inúmeras: grandes diferenças sociais, infraestrutura ainda precária, apesar de já ter sediado uma Copa do Mundo. Analistas divergem quanto ao merecimento do país africano entrar para o grupo, mas formalmente ele já o fez.


Fontes: Portal Uol Educação. Disponível em: http://vestibular.uol.com.br/revisao-de-disciplinas/geografia/potencias-emergentes.jhtm. Aceso no dia da postagem.
Portal Diário Econômico. Disponível em: http://economico.sapo.pt/noticias/nprint/115927.html. Acesso em 15 jun 2011 (Atualização da postagem).

Conflitos pelo mundo

"Os conflitos envolvendo diferentes causas ocorrem em várias partes do mundo. Analise o mapa onde aparecem dois tipos de questões geopolíticas".



Resposta correta: selecione o espaço entre parênteses abaixo.
( Letra C )

Fonte: Concurso público Analista Trainee Geografia, Metrô SP.


Crise do urbano


A crise, de que fala a autora, passa fundamentalmente pelo "escasseamento das relações de vizinhança resultantes da diminuição dos espaços de convivência e deterioração do espaço público".

Praça da Liberdade - Ambiente urbano de Belo Horizonte - MG


Fonte: Concurso público Analista Trainee Geografia, Metro SP.

Conceito de lugar

Segundo a perspectiva humanista da Geografia, lugar pode ser assim definido:


Fonte: Concurso público Analista Trainee Geografia, Metrô SP.

A herança para as futuras gerações...

...segundo a racionalidade econômica atual!

Fonte: Concurso público professor Geografia Prefeitura Belo Horizonte. 2008.

Gurgel

Veja a história da Gurgel Motors, a fábrica de automóveis genuinamente brasileira. Ela foi à falência em 1995 devido à abertura do mercado brasileiro aos carros importados.


Climas africanos


I - Clima Desértico.
II - Clima Tropical (Semiúmido).
III - Clima Tropical Seco (Semiárido).
IV - Clima Equatorial.
V - Clima Mediterrâneo.

Fonte: Vestibular Mackenzie 2009. Adaptado.

Conceito de região

Origem
-Tem origem no problema político-administrativo de hierarquia de poderes e no estabelecimento de um poder central.
-Etimologia da palavra: área sob um certo domínio ou definida por uma regularidade de propriedades que a definem.
-Conceito chave da ciência geográfica, marcado por diferentes acepções conforme a época ou a corrente de pensamento geográfico.

Diferentes concepções
-senso comum: ligado à localização e extensão de um certo fato ou fenômeno.
-geografia clássica: conceito visto como capaz de promover o encontro entre as ciências da natureza e humanas, o produto síntese da reflexão geográfica.
-geografia crítica: aceita que a região seja um processo de classificação do espaço.
-geografia cultural: conjunto específico de relações culturais no qual a apropriação simbólica do espaço geográfico é determinada pelo grupo social.
-Conceitualmente, o termo região tem sido empregado para designar uma classe de área que apresenta grande uniformidade interna e grande diferença em relação a seu entorno.


Região VS Globalização
-Estará o mundo se homogeneizando?
-Será o fim da região? Não.
-A relação entre centros hegemônicos com suas áreas de influência podem resultar em novas regiões ou renovar antigas.
-No atual momento é um conceito difícil de definir, pois existem uma infinidade de recortes regionais, como grupo de Estados, blocos econômicos ou recortes subnacionais que se válidos, não estaria-se voltando para a definição do senso comum?
-Região é então, um conceito difícil de definição.

Fontes: CASTRO, Iná. GOMES, Paulo. Geografia Conceitos e Temas.
ENADE 2008.

Índia VS Paquistão


Fonte: Vestibular Pucminas 2009-2.

Migrações

Definição
-São deslocamentos da população no espaço. Apesar de terem motivações diversas, pode-se afirmar que as migrações atuais são influenciadas principalmente por fatores de ordem econômica.

Tipos
-Migração pendular: movimento diário, formado por fluxos decorrentes do crescimento urbano. É a viagem casa-trabalho e trabalho-casa, de pessoas que moram longe de onde trabalham, por exemplo.
-Êxodo rural: sofre efeitos de processos de modernização tecnológica e de estagnação econômica. A migração do homem do campo para a cidade tem objetivos de busca de melhores condições de vida no ambiente urbano. A crescente mecanização do campo em lavouras de soja, por exemplo, causa desemprego, levando ao aumento deste tipo de migração.


-Migração inter-regional: movimentação interna aos territórios, favorecida pela maior integração espacial.
-Nomadismo: próprio dos povos que se deslocam continuamente no espaço, sem local fixo para viver.
-Transumância: caracteriza as pessoas que passam parte do ano em uma área e parte em outra. É o caso dos bóias-frias, que trabalham de maneira temporária em diversas regiões.

Fonte: Vestibular Pucminas 2009-2. Adaptado.

Nova divisão internacional do trabalho

"Com o avanço da globalização, a industrialização estendeu-se a vários países e regiões do mundo, levando à superação do modelo clássico da Divisão Internacional do Trabalho, em que cabiam aos países ricos a produção e a exportação de manufaturados e aos países pobres a produção e a exportação de matérias-primas. Mo modelo atual, há uma tendência clara de deslocamento de alguns tipos de indústrias para países periféricos, atendendo a interesses econômicos e estratégicos das grandes corporações".

São exemplos de indústrias que, no processo de desconcentração industrial, privilegiaram sua localização em alguns países periféricos da Ásia e América Latina:
-Indústrias de base: siderúrgicas, metalúrgicas ou petroquímicas, pelas vantagens locacionais oferecidas próximo às áreas produtoras de matérias-primas.
-Indústrias de bens de consumo duráveis: indústrias de móveis, eletrodomésticos e de automóveis, que, apesar de destinarem-se a um mercado consumidor mais amplo, favoreceram-se de benefícios fiscais e de parceiros locais.
-Indústrias de bens de consumo não-duráveis ou semiduráveis: indústrias alimentícias, de bebidas ou de vestuário, em virtude da elevada disponibilidade de mão-de-obra barata e da proximidade dos mercados consumidores.


Indústrias de alta tecnologia, vinculadas a setores como a informática, telecomunicação por satélites e produtos aeroespaciais, que exigem mão-de-obra altamente qualificada e vinculação estreita com grandes centros de pesquisa e universidades, ainda estão concentradas nos países centrais do capitalismo. É de lá que é irradiado o meio técnico-científico-informacional. A indústria desconcentrou-se, mas o comando do sistema não.

Fatores locacionais
Envolvem as condições necessárias à implantação industrial, variando de acordo com o tipo de atividade. Referem-se aos fatores relevantes da localização das indústrias:
-Recursos minerais são essenciais à fabricação de produtos diversificados, estimulando a implantação de indústrias de base próximo às suas fontes ou a redes de escoamento.
-As grandes corporações vêm contratando empresas e terceirizando a fabricação dos seus produtos, para reduzir custos operacionais, ampliando suas margens de lucro.
-A revolução técnico-científica gerou importantes avanços nos transportes e nas comunicações, permitindo maior flexibilidade e dispersão do processo produtivo no mundo.

A proximidade do mercado consumidor passa a ser fator dispensável na localização das unidades produtivas, uma vez que o processo de distribuição das mercadorias é comprimido no espaço-tempo. As mercadorias realizam-se mais rapidamente.


Fonte: Vestibulares Pucminas 2009-1 /2009-2. Adaptado.

Relevo

O território brasileiro apresenta formas diversas de relevo. Identifique a forma de relevo representada na figura abaixo e assinale a opção correta:


a - chapada
b - mares de morro
c - serra
d - depressão

Resposta correta: selecione o espaço entre parênteses abaixo.
( Letra A )

Fonte: Vestibular Pucminas 2009-1.

Carros pretos sofrem mais acidentes

Um estudo da Universidade de Monash (Austrália) constatou que os veículos pretos sofrem em média 47% mais acidentes. Não é que seus motoristas guiem pior: é que os veículos na cor preta não se destacam o suficiente, e por isso nem sempre são notados no trânsito. Segundo a pesquisa, os carros mais seguros são brancos ou amarelos.

Mas o que é pior: pesquisa da multinacional Dupont aponta o ranking mundial das cores mais populares em automóveis. E a cor preta é a segunda colocada em vendas. Traduzindo: uma parcela considerável de vendas está mais propensa a se acidentar.



O que é pior ainda: algumas montadoras, como a Fiat, oferecem um pacote com cores básicas que não são cobradas no momento da compra na fábrica. São cores básicas: preta, branca, azul e vermelha. Este pacote básico pode mudar conforme interesse do mercado e o modelo do veículo.

As outras cores são cobradas a mais, encarecendo o automóvel em aproximadamente R$600,00. Prata, verde, amarela, entre outras, estão nessa categoria. Em alguns modelos a cor prata já foi básica e por isso, não cobrada. Ultimamente a cor prata está sendo cobrada caso o cliente a queira.

Se a cor dos automóveis influi no índice de acidentes, por que não proibir a cobrança adicional por cores?


Fontes: Portal Revista Superinteressante. Disponível em: http://super.abril.com.br/ciencia/carros-pretos-sofrem-mais-acidentes-591682.shtml. Acesso no dia da postagem.
Portal Lista 10. Disponível em: http://lista10.org/category/carros/. Acesso no dia da postagem.

Destruição da floresta amazônica


1 - A inflamabilidade da floresta decorre de ações humanas associadas, direta ou indiretamente, a causas naturais.
2 - A redução da cobertura floresta, ao comprometer a evapotranspiração, pode, a longo prazo, acarretar redução das chuvas.
3 - O aumento do número e da intensidade das queimadas na Amazônia pode tornar-se, num ciclo vicioso, um um processo de retroalimentação.
4 - O fenômeno El ñino tem papel importante no aumento das queimadas na Amazônia brasileira.

Fonte: Vestibular UFMG 2010. Adaptado.

Como controlar as voçorocas?

Definição

Voçoroca: também chamada de ravina, trata-se de um fenômeno geológico que consiste na formação de grandes buracos causados pelas chuvas e intempéries, em solos onde a vegetação é escassa ou não existe, deixando o solo exposto. O solo geralmente é pouco permeável, o que gera enxurradas que carregam aos poucos partes do solo, o que resulta na formação de grande buracos.

Listando os três passos básicos para controlar o avanço das voçorocas:

1 - Isolar a área, não a disponibilizando para bois e vacas pastarem. É para evitar o pisoteamento da área, o que diminui a permeabilidade do solo, aumentando o escoamento superficial das enxurradas e o poder erosivo da água.
2 - Construção de canais acima da voçoroca para que a maior parte da água escoe pelas laterais, nao deixando a água entrar dentro da área erodida. Isso evita que a água da chuva venha em grande quantidade e com mais força para dentro da voçoroca.
3 - Plantio de espécies vegetais, dentro e ao entorno da voçoroca, que contribuem para  a diminuição da erosão pluvial e mesmo a eólica.



Fontes: Globo Rural Online. Disponível em: www.globo.com. Acesso no dia da postagem.
Portal Wikipedia. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/. Acesso em 04 out. 2010.

Como o avião voa? Como funciona a turbulência?

Como pesquisar melhor no Google?





Fonte: Portal Superinteressante. Disponível em: http://super.abril.com.br/tecnologia/como-achar-qualquer-coisa-google-582480.shtml. Acesso no dia da postagem.

Minha vida sem plástico

Por que dependemos tanto do plástico?

Veja as dificuldades de uma pessoa que se dispusesse a não usar nada de plástico!

Pretinho básico!

Entenda por que o petróleo é fundamental em nossa sociedade e por que ele vai demorar a deixar de ser importante em nossa sociedade.

Quanto custa um deputado?

O problema não é o salário dos deputados e senadores. Veja o salário a que tem direito esses políticos e os "adicionais" que vêm acompanhados. Para meu espanto, o correto é considerar o salário o adicional.

Eles têm direito a 13º, 14º e 15º!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! salários.


Abaixo as "verbas" a que tem direito deputados e senadores, tudo pago com o dinheiro dos contribuintes:


Verba de gabinete: cada um dos 513 deputados federais possui essa verba mensal para gastar com material de escritório e até 25 assesssores parlamentares.


Verba indenizatória: para cobrir gastos com combustível, hospedagem, aluguel de escritório (de outro escritório, além do que ele já tem no Congresso) e consultorias (qualquer coisa que os deputados queiram chamar de consultoria!!!!!!!!!).


Auxílios: moradia (para pagamento de aluguel, se quiserem dispensar apartamentos disponíbilizados pelo poder público); cota postal e telefônica ( o contribuinte paga o correio e DDD's ou DDI's e ou ainda a banda larga dos deputados); impressões (você paga o que ele acha que deve ser impresso para a leitura dele) e assinaturas (de revistas e jornais).


Auxílios (continuação): passagens aéreas (ida e volta de Brasília para o Estado que representam, não precisam de justificativa - pode ser convenção partidária ou festa junina!!!!); assistência médico-odontológica ( o deputado e a família dele podem pedir reembolso de gastos com essas áreas).

Resultado: a média de geração de riqueza de 69 brasileiros custeiam um deputado federal. Veja a comparação abaixo com EUA e com a França. O Brasil gasta mal seu dinheiro.


Fonte: Portal Revista Superinteressante. Disponível em: http://super.abril.com.br/cultura/quanto-custa-deputado-601265.shtml. Acesso no dia da postagem.

As 10 mais lidas