Sobre a origem das gravatas

"...do ponto de vista etimológico, gravata na verdade vinha de um bando de cruéis mercenários croatas que amarravam lenços em volta do pescoço antes de partir para a batalha. Até hoje, esse antigo traje de combate é usado por guerreiros corporativos modernos, que esperam intimidar os inimigos nas batalhas diárias das salas de reunião".

Fonte: BROWN, Dan. O Símbolo Perdido. Rio de Janeiro: Sextante, 2009.

Sobre o caminho a se trilhar...

"Não se contente em trilhar um caminho estabelecido. Ao contrário, vá para onde não há caminho algum e deixe seu rastro".

JOHNNIE WALKER, fundador da marca de uísque mais famosa do mundo.

O movimento de rotação da Terra e suas consequências


Temática
- Por que o dia vira noite e a noite vira dia?
- Por que a energia solar incide de modo desigual no planeta?
- Por que existem diferenças de horário no planeta?

Primeiro é preciso dizer que a ideia de movimento de alguma coisa depende do ponto de referência. O planeta em que estamos está em constante movimento. Não parece, parece que ele está parado, mas não está. Quando olhamos da Terra, o Sol é que parece estar se movimentando de Leste para Oeste, mas é o contrário: a Terra gira de Oeste para Leste, como na animação abaixo:

Se estivéssemos na Lua, poderíamos avistar o movimento da Terra em torno de si mesma: a Rotação. Daí outra questão aparece:
- Por que o dia só tem 24 horas? Porque a Terra gira em torno de si mesma, gastando 24 horas para dar uma volta em torno de si mesma.

A medida que a Terra vai girando, uma metade fica na área clara e a outra na área escura. É a sucessão de dias e noites. Sabemos que uma esfera tem 360°. Como a Terra demora 24h para dar uma volta de 360°, conclui-se que em 1h ela consegue girar cerca de 15°. É matemática. É daí que surgiram os fusos horários.

Em 1900 criou-se um sistema horário mundial, e o Meridiano de Greenwich foi tomado como referência para atualizar as horas em todo o mundo. A cada 15° de distância de Greenwich o lugar tem uma hora a mais ou a menos, dependendo se for para leste ou oeste, respectivamente. Mas os países decidem se seguem fielmente esta convenção ou se fazem adaptações para criação de uma hora local. O Brasil está em um local que tem 45° de distância de Portugal, ou seja, três horas de diferença para aquele país.

Quanto à incidência dos raios solares, existem alguns lugares mais frios no planeta que outros. É o que os raios solares não incidem da mesma maneira na superfície terrestre. Quanto maior a latitude do local, menor vai ser a incidência direta dos raios solares. Isso determina o tipo de clima do local, já que com uma menor incidência direta dos raios solares o calor é menor.

Pelo fato de a Terra ser arredondada, os raios vão incidir de maneira menos indireta a medida que se aproxima dos polos. A latitude não é o único fator que determina se o local é mais frio ou mais quente. A altitude também faz diferença. Quanto mais alto é o local, mais frio ele é. A distribuição das terras e das águas também influem na quantidade de calor de cada lugar. É a influência da continentalidade e da maritimidade.

Cerca de 40% dos raios solares são refletidos pelas nuvens ou pela superfície da Terra. Os mares e oceanos distribuem a quantidade de calor por cerca de 100m de profundidade, funcionando como reservatórios de calor.

Nos continentes a absorção de calor vai depender do tempo de duração da insolação sobre a superfície, da topografia e de sua distância do Equador. A camada aquecida da terra é mais fina que a dos oceanos, não chega a 1m de profundidade. Por isso no interior dos continentes existe uma maior variação de temperatura entre o dia e a noite.

O aquecimento da superfície terrestre transmite o calor para o ar em volta da Terra. Os gases da atmosfera funcionam como uma estufa natural, retendo o calor irradiado pela Terra. A circulação atmosférica transfere o calor de um lugar para outro na atmosfera terrestre, assim como nos oceanos. A transferência de calor segue o padrão equador-polo, polo-equador. Assim se formam os ventos.


As órbitas planetárias

O que se aprende na escola, especialmente no quadro negro, é que os planetas estão dispostos de maneira plana. O fato é que no quadro não dá para desenhar tão bem. Assim veja o gif animado abaixo, mostrando como é a concepção tradicional e como é a órbita real dos planetas no sistema solar.



Fonte: Astronomia no Zênite. Disponível em: http://www.zenite.nu. Acesso em: 17 mar. 2010.

Os planetas no sistema solar

A mudança na classificação de Plutão...
Qual é a ordem dos planetas no sistema solar?

Com o passar dos tempos, os conhecimentos humanos sobre o universo vão se aprofundando. Assim existe uma atualização constante dos conhecimentos do cosmos e o resultado é que o que estudamos quando éramos crianças não vale mais para os dias de hoje.

Atualmente o Sistema Solar é assim constituído:

1 - Sol: astro rei, o qual todos os planetas e demais corpos celestes giram em seu entorno.
2 - Mercúrio: planeta rochoso, sua órbita está mais próxima do sol. Não é o planeta mais quente por que não possui atmosfera e consequentemente efeito estufa.
3 - Vênus: planeta rochoso, sua rotação se dá em sentido oposto a da maioria dos planetas. Possui um poderoso efeito estufa por possuir uma densa atmosfera.
4 - Terra: planeta rochoso.
5 - Marte: planeta rochoso, mais frio e menor que a Terra.
6 - Cinturão de Asteróides: astros escuros, rochosos e de formas variadas, estão entre Marte e Júpter.
7 - Ceres: astro rochoso e muito pequeno, foi considerado um asteróide até bem pouco tempo. Passou a integrar na nova classificação o título de planeta-anão ou plutóide.
8 - Júpiter: maior planeta do sistema solar, de composição gasosa, tem a importante função de atrair cometas e asteróides para que se choquem com ele, proporcionado por sua grande força gravitacional. Possui anéis em volta de si, mas não são tão brilhantes como os  de Saturno.
9 - Saturno: planeta gasoso, com anéis brilhantes formados por cristais de gelo e rocha.
10 - Urano: planeta gasoso, com um sistema de anéis descoberto apenas em 1977, por acaso.
11 - Netuno: o último dos gigantes, também é um planeta gasoso e possui anéis.
12 - Cinturão de Kuiper: outro cinturão de asteróides, se estende da órbita de Netuno e ultrapassa a órbita de Plutão.
12 - Plutão: planeta-anão ou plutóide, nova classificação para pequenos planetas no sistema solar. Ele é menor até mesmo a lua da Terra.
13 - Haumea: planeta-anão após Plutão.
14 - Makemake: planeta-anão após Haumea.
15 - Éris: planeta-anão após Makemake.

Fonte: Astronomia do Zênite. Disponível em: http://www.zenite.nu. Acesso em 17 mar. 2010.


Sobre a excelência...

“Somos o que repetidamente fazemos. A excelência, portanto, não é um jeito, mas sim um hábito".

ARISTÓTELES, filósofo grego.






De onde vem a água de Dubai?

Dubai é uma cidade-estado que fica no deserto, não tem nenhum rio. Então como abastecer uma cidade inteira com água potável? Veja a resposta na reportagem.

Construção de Dubai e sua mão-de-obra

O que acontece com a mão-de-obra que trabalha na construção da cidade de Dubai.

O que é a escala Richter?

É uma escala padrão usada para comparar terremotos. Trata-se de uma escala logarítima, o que significa que os números na escala medem fatores de 10. Por exemplo, um terremoto que mede 4.0 na escala Richter é 10 vezes maior de um que mede 3.0. Na escala Richter, qualquer coisa abaixo de 2.0 é indetectável a uma pessoa normal, e é chamado de microterremoto. Microterremotos ocorrem constantemente. Os terremotos moderados medem menos que 6.0 na escala Richter, e os acima dessa faixa podem causar graves danos.

É importante notar que essa escala mede a magnitude de um terremoto, não a intensidade. A mais alta magnitude registrada foi um terremoto no Chile, em 22 de maio de 1960, de 9,5°. A escala vai até 10°. Existem outras escalas que medem a intensidade de terremotos, como a escala de Mercalli.


intensidade sísmica é uma medida qualitativa que descreve os efeitos produzidos pelos terremotos em locais da superfície terrestre. A classificação da intensidade sísmica é feita através da observação dos danos e de inquéritos à população afetada. Já a magnitude sísmica consiste na avaliação da quantidade de energia liberada no hipocentro durante um sismo


Fonte: How Stuff Works. Disponível me: www.hsw.uol.com.br. 
Wikipédia. Disponível em: www.wikipedia.org. Acessos em: 5 mar. 2010.

O Brasil é imune aos terremotos?




Embora esteja localizado sobre o centro de uma placa tectônica, o Brasil não é imune a terremotos de grande magnitude, de acordo com o Observatório de Simologia da Universidade de Brasília.


O primeiro a registrar mortes, ocorreu na madrugada do dia 09 de de dezembro de 2007, em Itacarambi, Minas Gerais. O abalo, de 4,9 pontos na escala Richter, causou a morte de uma menina de 5 anos e deixou mais de 70 famílias desabrigadas.

Veja lista dos maiores terremotos ocorridos em solo brasileiro:
  • São Paulo, 1922 – 5.1 pontos na escala Richter
  • Espírito Santo, 1955 – 6.3 pontos na escala Richter
  • Mato Grosso, 1955 – 6.6 pontos na escala Richter
  • Ceará, 1980 – 5.2 pontos na escala Richter
  • Amazonas, 1983 – 5.5 pontos na escala Richter
  • Rio Grande do Norte, 1986 – 5.1 pontos na escala Richter
  • Minas Gerais, 2007 – 4.9 pontos na escala Richter
Fonte: How Stuff Works. Disponível em: www.hsw.uol.com.br. Acesso em: 5 mar. 2010.

Como saber de qual operadora é um celular?

Uma saída bacana é utilizar um aplicativo da ABR Telecom. Com ele você pode consultar qualquer número, fixo ou móvel, ficar sabendo qual operadora está no momento, e não errar na hora de economizar!


Para acessar basta clicar no link abaixo:
Número de celular: Oi, Tim, Vivo ou Claro?

Sobre o ato de escrever...

"A gente pensa uma coisa, acaba escrevendo outra e o leitor entende uma terceira e, enquanto se passa tudo isso, a coisa propriamente dita começa a desconfiar que não foi propriamente dita". 


MÁRIO QUINTANA, escritor.





As 10 mais lidas